Quais os 9 superpoderes do gestor de projetos?

Project Thinking-3

Tudo bem?

Aproveitando todo o barulho sobre os filmes de super-herói, como Batman X Superman e Capitão America – Guerra civil, resolvi fazer um post inspirado neles, definindo 9 superpoderes (habilidade, conhecimentos, ferramentas, etc.) que são essenciais para Gestores de Projetos de QUALQUER área e que devem conhecer, ter e praticar nos dias de hoje! Isso também poderá ajudar a quem está interessado em iniciar sua carreira na área de Gestão de Projetos!
E claro, não necessariamente esta é uma ordem de prioridade, mas sugiro que tenha em seu “cinto de utilidades”!

Superpoder 01 – PMBOK GUIDE

Surpresos? Pois eu não ficaria! Aí peço para olhar além e ver se o PMBOK é útil ou se vai se aplicar ao seu cenário de trabalho! Mas entender, ter lido ou mesmo saber os termos deste GUIA de projetos poderá facilitar a comunicação com outros profissionais de gestão de projetos no mundo. O PMI tem quase 500 mil filiados no mundo e mais de 750
mil profissionais certificados PMP (Project Management Professional).  Lembre-se: ser PMP não é pré-requisito para ser Gerente de Projetos, mas irá garantir no máximo que atenda aos pré-requisitos daquele vaga. Você pode ser um excelente Gestor de Projetos sem necessariamente ser PMP. OK?

Superpoder 02 – MÉTODOS ÁGEIS

 

Não estou falando de “Desenvolvimento de Software ágil”, um termo muito utilizado por diferentes metodologias e frameworks que desenvolvem software de forma interativa (aquele que faz progresso através de tentativas sucessivas de refinamento) e incremental (é aquele em que o software/produto é construído e entregue por pedaços).

E nem somente de Scrum, que é um “framework” em mais uso e conhecido no mercado, por ser o mais simples, de fácil adoção e adaptação. Ou simplesmente por que funciona bem! Hoje os métodos ágeis são uma alternativa à “gestão tradicional” de projetos, por mais que tenha nascido nos braços do desenvolvimento de software, assim como scrum, “beberam muito na fonte” da cultura de Lean.  E eu particularmente aplico a qualquer tipo de projeto (mesmo porque não desenvolvemos software na FrameWork).

Superpoder 03 – O PM CANVAS

O PM Canvas é modelo visual desenvolvido pelo Professor e Pesquisador José Finocchio Jr. Conforme seu site, o PM Canvas é “considerado uma metodologia inovadora de gerenciamento de projetos, […] escrito com clareza e abordagem diferenciada para revolucionar o campo da gestão de projetos”.

Eu particularmente gosto do Canvas por ter uma lógica simples e ter conseguido aglutinar aos 13 blocos itens essências para um planejamento de projetos rápido! Isso melhorou muito a aderência da Gestão de Projetos, principalmente em ambiente inovadores e criativos! Mas engana-se quem pense que o PMC é somente para projetos “inovadores”, pois podemos utilizar para quaisquer projetos profissional ou pessoal! Que saber mais? http://www.pmcanvas.com.br/videos/

Superpoder 04 – A GESTÃO VISUAL

Gestão Visual não tem nada a ver com usar o “Canvas” somente! Tenha cuidado, pois hoje temos uma busca “pelo canvas perdido” e tem muita coisa maluca no mercado! Os japoneses e alguns autores são reconhecidos internacionalmente por suas contribuições aos modelos orientais. Vale citar: Juran (gestão); Deming (processos); e Ishikawa (ferramentas) (Paladini, 1998). Depois veio Osterwalder e Pigneur com o Business Model Canvas e José Finocchio com o Project Model Canvas.

Eu gosto de um autor chamado David Sibbet. Ele diz que as pessoas gostam de interagir! Permitir que elas acessem a informação é um caminho simples e direto para maior participação. Eu complementaria afirmando que isso fomenta o pertencimento do time do projeto sobre aquele projeto e não somente o “gerente de projetos”. Então, trabalhar com Gestão Visual permite que as equipes se tornem mais eficientes e eficazes quando conseguem visualizar o tema de forma que seja possível interagir por um olhar holístico. Melhora a visualização e compreensão, mapeia ideias e há mais transparência, ajudando a entender os processos e a priorizar o que realmente é necessário. Além disso, segundo a neurociência, o fato de poder visualizar ajuda seu cérebro no que ele é melhor: resolver problemas, pois tudo está “à sua vista”!

Se eu já uso o “canvas”, eu já trabalho gestão visual, Edu? Em parte, pois fazer gestão visual requer um pouco de quebra de paradigmas! Mas é um caminho sem volta quando você “adquire esse poder”! E seu cérebro de clientes irão agradecer!

Superpoder 05 – A LIDERANÇA

Basicamente, nossa atividade de Gestão de Projetos é comunicar, motivar e gerenciar pessoas! Mas será que somos líderes? Entender de liderança e aplicar isso no seu dia-a-dia de projetos é de extrema importância, pois muito gestores de projetos tem o mindset técnico, e às vezes perdem bons técnicos e ganham mal gestores/líderes!

A liderança pode surgir de forma natural. Quando uma pessoa se destaca no papel de líder sem possuir forçosamente um cargo de liderança, é o líder informal. Mas algumas pessoas são selecionadas por uma organização e passa a assumir um cargo de autoridade, exercendo uma liderança formal de “gestores”.

Assim, o líder diferencia-se do chefe, que é aquela pessoa encarregada por uma tarefa ou atividade de uma organização e que, para tal, comanda um grupo de pessoas, tendo autoridade de mandar e exigir obediência. Para os gestores atuais, são necessárias não só as competências de chefe, mas principalmente as de líder. Portanto, condução de um grupo de pessoas em seus projetos, transformando-o numa equipe que gera resultados, é chamado de liderança.

Superpoder 06 – O EMPREENDORISMO

Hoje e sempre o empreendedorismo é o principal fator promotor do desenvolvimento econômico e social de um país. O especialista Robert D. Hisrich, em seu livro “Empreendedorismo”, define que “empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal”.

O papel do empreendedor é identificar oportunidades, agarrá-las e buscar os recursos para transformá-las em um negócio lucrativo. O empreendedor tem como característica básica o espírito criativo e pesquisado.

Quer dizer que temos abrir um negócio? Não necessariamente, mas devemos ser intraempreendedores, ou seja, aplicar o empreendedorismo dentro dos limites de uma organização já estabelecida.

Superpoder 07 – A CRIATIVIDADE

Fui buscar uma definição e gostei dessa: “A criatividade é considerada uma capacidade humana de grande valor universal, tudo indica que nesta competência reside a memória “RAM” biológica para o impulso da evolução humana”. Ou seja, todos nós somos criativos, mesmo que não acreditamos nisso! Durante o workshop do Project Thinking esse é um dos feedbacks que mais recebo, as pessoas não acreditam que poderiam criar 400 ideias numa sexta às 22:00! 🙂

O David Kelley (IDEO e d.School) fala o seguinte: “Criatividade não se ensina, se desperta. A verdade é que todos podem. Com o tempo, e às vezes por culpa das empresas, as pessoas desistem de correr riscos”.

Nosso desafio com Gestores de Projetos é recuperar essa “confiança criativa”, ou seja, não ter medo de tentar. Pessoas criativas arriscam e entendem que o erro faz parte! Mas o processo tem muito mais ciência do que pode parecer. Todas as pessoas criativas são sistemáticas na forma de pensar, embora quase nunca se deem conta disso. Por exemplo, dizem que Jobs era “viciado” em processos sistematizados!

Superpoder 08 – O OKR

O OKR (sigla para Objectives and Key Results) é uma metodologia ou framework para definição de metas criado pela Intel e adotado pelo Google em 1999, quando a empresa tinha menos de 1 ano. Desde então os OKRs foram adotados por diversas empresas. Em um OKR, o Objetivo é a descrição qualitativa do que se espera atingir e os Key Results são métricas que indicam se atingimos nosso objetivo.

Não pensem que isso é somente para empresas “inovadoras e startups”. O foco é simplificação, quebra de conceitos “tradicionais”, como BSC, focar no que interessa, fazer visão a curto prazo e revisão curtas! Melhor artigo sobre:https://endeavor.org.br/gestao-metas-metodologia-okr/

Superpoder 09 – O DESIGN THINKING

A popularização da expressão “Design Thinking” veio em 1991, ano que foi fundada a IDEO em Palo Alto (hoje conhecido com Vale do Silício), na Califórnia. Na mesma época, os primeiros acadêmicos na Universidade de Stanford tiveram uma papel de fundamental importância na propagação da expressão dentre suas mentes de negócios e técnicas para revolução digital.

Isso tem sido gradualmente ensinado nos MBAs das grandes escolas e sendo adotado por grandes empresas internacionais como mais uma ferramenta para o executivo. Tudo bem, mas o que isso tudo tem a ver com gerenciamento de projetos? Tudo, afinal, segundo Tennyson Pinheiro, sócio da live|work, a tradução literal seria “o jeito de pensar do design”, mas em bom português seria “projeto centrado em pessoas”.

Então, o Design Thinking tem sido uma abordagem prático-criativo de solução de problemas ou questões, e, com isso, acabamos por trabalhar uma forma de pensar baseada em soluções ou focada em soluções, com um objetivo inicial. Ao invés de começar com um determinado problema.

Achando algo estranho? Onde está o Project Thinking, Edu? O Project Thinking utiliza de 08 desses super poderes: Design Thinking, Gestão Visual, PM Canvas, PMBOK, Criatividade, Empreendedorismo, Liderança e Métodos Ágeis. E ainda ajuda muito o 01 super poder que não tem na abordagem do Project Thinking, o OKR! Mas contribui muito na mudança de minaste e formando os “project thinkers” durante os workshops!

Para fechar, você deve estar pensando: “Dessa forma, somente sendo o Superman para ter todos essas super poderes!”. Não, imagine que o Gerente de Projetos seja o Batman, ele é humano e se seu poder está em seu cinto de utilidades! Então imagine que os 09 super poderes seria no mínimo o que você teria que ter em seu “cinto de utilidades”!

Gostou? Dá like, comenta quais outros super poderes e compartilha! E no próximo será melhor do que esse!

@eduardofreire